4 benefícios das plantas para os seres humanos

4 benefícios das plantas para os seres humanos

Observe o caminho que você faz diariamente para ir ao trabalho, à escola ou a qualquer lugar que integre sua rotina e conte quantas obras, prédios, pontes, bancos e praças encontra. Agora conte quantas áreas verdes, ou simplesmente praças arborizadas, fazem parte do mesmo caminho.

Provavelmente a diferença entre os números será gritante, e no seu dia a dia pode ser que você nem perceba ou reflita no impacto da falta de vegetação urbana. O crescimento desordenado da maioria das cidades faz com que o processo de arborização fique em segundo plano, o que é uma pena, pois os benefícios das plantas para os seres humanos ultrapassam a esfera da saúde física, chegando também à psicológica e social.

O exemplo mais claro é o ar limpo, já que as árvores captam gás carbônico e produzem oxigênio por meio da fotossíntese, diminuindo a poluição e a emissão de gases.

Além disso, a cobertura vegetal ajuda na absorção e filtragem de elementos tóxicos e partículas dispersas no ar, como o enxofre.

Como consequência, a saúde da população que reside em cidades com mais áreas verdes (ou, pelo menos, daqueles que vivem próximos à natureza) é melhor, com menos riscos de doenças cardíacas e pulmonares, como pneumonia, bronquite crônica, câncer de pulmão e infartos.

Mas não é só sob a forma de áreas verdes e árvores nas calçadas que as plantas são importantes para o ser humano. A versatilidade dos vegetais se estende, inclusive, para seus benefícios, e seus benefícios podem vir em forma de hobbies, alimentação e tratamentos alternativos.

Vegetação urbana e áreas verdes

Ainda sobre a arborização urbana, o equilíbrio do microclima explica a importância da inclusão de árvores, plantas e áreas verdes nos projetos das cidades.

É comum escutar que os dias estão cada vez mais quentes, e a vegetação contribui para a ampliação da umidade do ar por meio da evapotranspiração, diminuindo o calor superficial e liberando vapor d’água para a atmosfera. A copa das árvores também reduz a insolação direta, tornando o ambiente mais fresco e agradável.

Estudos revelam que a diferença de temperatura entre regiões arborizadas e áridas dentro de uma mesma cidade pode chegar a mais de 4ºC. Outros benefícios incluem o sombreamento em dias de sol, redução dos ruídos e poluição sonora e abrigamento de pássaros e animais que contribuem para o equilíbrio natural.

Respiração pura: a mente agradece

Respirar o ar puro das regiões arborizadas também é positivo para o aspecto mental.

O aumento do convívio social nessas áreas, graças à prática de caminhadas, exercícios físicos, brincadeiras, piqueniques e bate-papos, reduz a sensação de solidão, tão comum nos grandes centros.

Outros estudos também relacionam a redução do estresse, ansiedade e depressão, melhoria do sistema imunológico e até diminuição dos sintomas do Alzheimer.

Que bom seria se o investimento em arborização urbana fosse encarado como prioridade e questão de saúde pública, não é? Mas já que essa não é a realidade da maioria das cidades, você pode usufruir dos benefícios das plantas de outras formas, coletivas ou individuais.

Plantas na alimentação

Para muita gente, comer um prato de salada é um verdadeiro sofrimento, muito porque nossa cultura aborda a alimentação à base de folhas, legumes, vegetais e frutas como um sacrifício a ser feito em nome da boa forma.
Mas os benefícios das plantas na alimentação vão muito além de um corpo magro e vem convencendo muitas pessoas a manterem uma horta caseira, seja ela de temperos, hortaliças, ervas e até PANC’s (Plantas Alimentícias Não Convencionais), cada vez mais populares nos pratos.

benefícios das plantas para os seres humanos

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), uma alimentação saudável deve conter 400 gramas ou cinco porções diárias de frutas, hortaliças e verduras. Pessoas que seguem essa recomendação têm até 25% menos chances de desenvolver doenças fatais.

Isso porque esses alimentos são fontes de nutrientes e vitaminas essenciais para a manutenção do organismo, além de proteínas, fibras e clorofila. Os benefícios para a saúde vão desde redução dos níveis de colesterol e diabetes até combate à obesidade e depressão.

Boas opções para se ter em casa são manjericão, hortelã, tomate, alface, couve, cebolinha, salsinha, pimenta, erva-cidreira, espinafre, além de Ora-Pro-Nobis, taioba, dente-de-leão e peixinho entre as PANC’s.

Jardinagem como hobby

Ter um hobby é uma importante ferramenta terapêutica contra a depressão, estresse e ansiedade, e a jardinagem é sempre apontada como uma das práticas mais queridas.

Algumas escolas já aplicam projetos de hortoterapia como parte do programa nutricional e de promoção do bem-estar infantil, e os resultados são igualmente incríveis, incluindo melhoria na relação peso-altura e no convívio com outras crianças, incentivo à imaginação e promoção da paciência.

Na terapia ocupacional, a jardinagem e o cuidado com as plantas servem para trabalhar questões como memória, estimulação sensorial, autoestima, força, concentração e foco. Entre os benefícios estão a melhoria da qualidade de vida, autocontrole e relaxamento, integração e interação social, adoção de padrões mais saudáveis e promoção da atividade física.

Se você não tem espaço para um jardim ou horta robusto, pode investir em terrários, mini-jardins, mini-hortas, jardins suspensos, bonsais e suculentas, além de plantas que podem ficar dentro de casa, como as samambaias.

Óleos essenciais e fitoterapia

As terapias complementares e alternativas realizadas com extratos de plantas apresentam resultados bastante positivos em diversos casos, desde aumento da imunidade até redução da ansiedade e insônia.

Na aromaterapia, os óleos essenciais extraídos de flores e plantas atuam para melhorar o bem-estar físico e psicológico. Entre as propriedades mais conhecidas estão antibióticas, anti-inflamatórias, analgésicas, relaxantes e anti-fúngicas, sendo os óleos mais comuns os de lavanda, hortelã, alecrim, laranja e camomila.

A fitoterapia, por sua vez, utiliza ervas medicinais para tratar e prevenir doenças, sendo que muitas delas podem ser plantadas em casa, como a aloe-vera (também conhecida como babosa), erva-cidreira, espinheira santa, gengibre e erva-de-são-joão.

Os benefícios são semelhantes aos associados à aromaterapia, com as vantagens de também ser de baixo custo e com menos efeitos colaterais que tratamentos comuns.

Em ambas as terapias, no entanto, é preciso orientação e acompanhamento de um profissional qualificado, pois cada organismo reage de uma forma às plantas medicinais e óleos essenciais.

Vale frisar, inclusive, que as plantas são benéficas em todos os níveis para os seres humanos, mas cada caso é diferente e você pode avaliar qual dessas opções mais se adapta ao seu estilo de vida. O importante é incluir o verde no seu dia a dia e usufruir de tudo de melhor sobre os benefícios das plantas para os seres humanos!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Como Eu Posso Te Ajudar?
Powered by